ligado: maio 17, 2018

O número de empresas inadimplentes permaneceu em nível recorde em março, com o setor de Serviços reunindo a maior quantidade de CNPJs negativados, segundo pesquisa da consultoria especializada em informações de crédito Serasa Experian.

Em março, cerca de 5,4 milhões de empresas estavam inadimplentes, um aumento de 9,3% em relação a março de 2017, quando 5 milhões de CNPJs acusavam dívidas em atraso. O nível recorde foi atingido em janeiro e desde então ficou estável. Mas encerrou o 1º trimestre sem dar sinais de recuo.

Já o montante alcançado pelas dívidas das empresas passou de R$ 123,7 bilhões em fevereiro para R$ 124,1 bilhões em março. Há 1 ano, o valor devido estava em R$ 116,4 bilhões.

Inadimplência por setores

Na análise por setores, as empresas de serviços concentram o maior número de CNPJs negativados, com 47,7% do total, aumento de 1,2 ponto percentual em relação a março de 2017. Na sequência, estão as empresas do comércio com 42,8%. Já as indústrias representam 8,5% das inadimplentes, queda de 0,2 ponto percentual na comparação ano a ano.

Apesar do nível recorde de empresas com dívidas em atraso, a Serasa Experian avalia que o fato do indicador ter ficado estável neste começo de 2018 pode ser um sinal de proximidade do fim do ciclo de alta da inadimplência das empresas.

“O crescimento econômico maior neste ano e mais disseminado entre os diversos setores e não apenas concentrado na agropecuária como foi em 2017, e a continuidade da queda das taxas de juros, facilitando a renegociação das dívidas, tendem a colaborar na estabilização do nível de inadimplência das empresas”, destaca a Serasa no estudo.