ligado: agosto 23, 2019

FCDLESP aponta que pagamento de dívidas está no topo da lista de prioridade dos consumidores, seguido por compras em datas sazonais

Em julho, o governo anunciou duas opções para saques de contas ativas e inativas do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), sendo elas o saque imediato e o saque de aniversário. Segundo uma pesquisa realizada pela FCDLESP (Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo), a prioridade dos consumidores é o pagamento de dívidas, que podem devolver o crédito a eles, seguido por compras, que podem movimentar o comércio.

Para os lojistas, as vendas podem ter potencial de crescimento de 2%, pois alguns consumidores podem fazer o saque imediato e sacar até R$ 500,00. “Em 2018, cerca de 62 milhões de pessoas fecharam o ano no vermelho, por alguma conta atrasada e com o CPF negativado. Esse número representa mais de 40% da população brasileira, segundo SPC. Por se tratar de um valor extra, que certamente não estava previsto no planejamento mensal, grande parte dos que optarem pelo saque imediato provavelmente irão quitar débitos, gerando assim uma normalização nas linhas de créditos”, explica o presidente da FCDLESP, Maurício Stainoff.

A pesquisa foi realizada com a participação das principais CDLs do Estado de São Paulo, que enviaram dados locais como, percentual de crescimento das vendas, repercussão da notícia na região, pontos positivos com a atualização do saque e qual data será mais beneficiada no segundo semestre.

Região Metropolitana de São Paulo

Na região metropolitana de São Paulo, as expectativas para as vendas são de um crescimento mínimo, quando comparadas ao interior e litoral do estado. As CDLs de Itaquera e Guarulhos preveem um crescimento de 2%, mas as datas mais beneficiadas se diferem, para Itaquera será a Black Friday e Guarulhos o Dia das Crianças.

Para a CDL de Taboão da Serra, o crescimento pode ser de 3%, devido à notícia ter repercutido de forma positiva na região.  Já a CDL de São Mateus prevê um crescimento de 5%, pois como o nível de endividamento das famílias está alto, o recurso adicional terá um impacto positivo, resultando em um percentual maior de consumidores com poder de compra com base no crédito, explica o presidente da CDL, Marcelo Dória.

Na região do Grande ABC Paulista, as CDLs de São Bernardo do Campo e Diadema estimam um crescimento entre 2% e 3%. Marcos Vicente, presidente da CDL de Diadema, explica que a atualização do FGTS soou de forma tranquila na região, apesar de ter sido uma surpresa para todo e a opção mais utilizada será do saque imediato.

Já a CDL de São Bernardo do Campo, acredita que os consumidores optaram pelo saque de aniversário, que corresponde em sacar uma parte do FGTS todos os anos, em troca, perde-se o direito de sacar todo o valor do fundo se for demitido. Para a CDL de São Caetano do Sul, Mauá e Casa Verde, os consumidores podem optar pelo saque imediato, porém não haverá um crescimento nas vendas devido à prioridade pelo pagamento das dívidas.

Interior

As expectativas de vendas para a região de Bauru permanecem estáveis. A região acredita no aumento somente se houver alguma sobra do valor sacado, pois a prioridade está em pagar as dívidas. “Em pouco tempo, cada inadimplente poderá se tornar um cliente ativo novamente, após o pagamento dos débitos”, comenta o presidente da CDL de Bauru, Odair Secco.

Já para CDL de Pederneiras, localizada na região de Bauru, a opção do consumidor será o saque imediato e o crescimento nas vendas será de 3%. Para a CDL de Franca, a notícia na região gerou muitas dúvidas, mas a princípio a população irá pagar suas pendências financeiras. Sendo assim, não há perspectivas de crescimento nas vendas para o comércio local.

Na região de Sorocaba, o saque imediato pode ser a opção utilizada pelos consumidores, visto que a cultura do comércio local, quando as pessoas recebem dinheiro extra, é utilizá-lo. Provavelmente o Dia das Crianças deve ser a data mais próxima quanto a vendas.

Litoral

A CDL de Santos-Praia está com altas expectativas quanto às vendas, segundo o presidente Nicolau Miguel, o crescimento esperado pode ser de 5%. “Qualquer dinheiro extra que entra na conta do consumidor pode gerar um aumento nas vendas, pois fomenta o comércio”, acredita.

Para a CDL de Bertioga, o crescimento será pequeno, em torno de 2%. “Primeiramente os consumidores irão pagar suas contas atrasadas, para a liberação do crédito e, com isso, voltarão a consumir”, comenta a presidente da CDL, Adriana Dias.

Já a região do Guarujá acredita numa pequena movimentação quando se refere a compras. A expectativa é de crescimento de 2% e a data que mais pode se beneficiar é o Dia das Crianças, segundo o presidente da CDL, Orlando João.